Tumblelog by Soup.io
Newer posts are loading.
You are at the newest post.
Click here to check if anything new just came in.
blogautoestima92

Conheça As 4 Tecnologias Que Revolucionaram O Mundo Dos Negócios


Ferramentas Gratuitas De S.e.o. (search engine optimization) Pra Melhorar A Posição Do Seu Site Nos Motores De Busca


Um certificado digital do Banco Inter, acompanhado da respectiva chave privada, foi publicado em um site pela web e posteriormente revogado, segundo apuração do site Segurança Digital. Em comunicado ao site Segurança Digital, o Banco Inter reiterou que "não houve comprometimento da tua estrutura de segurança" e não comentou o vazamento e a revogação das chaves.


Além do certificado vazado achado pelo web site, no mínimo outros dois certificados digitais do banco (um de 13 de abril de 2018 e outro de 26 de março de 2018) foram revogados. Fatos no blog da Comodo: certificado do Banco Inter de 18 de agosto foi revogado com fundamento de 'chave comprometida' (keyCompromise). A norma de certificação digital na internet impõe 11 possíveis razões (numeradas de 0 a 10) para a revogação de um certificado.


A justificativa de "chave comprometida" (nº 1), que consta para a revogação dos certificados do Banco Inter, é a mais específica sobre o assunto uma chave vazada, excluindo a probabilidade de outros defeitos técnicos ou falhas nas corporações que concedem os certificados. Os certificados revogados são de duas corporações diferentes: GoDaddy e DigiCert. A autenticidade de um dos certificados, ao qual o web site Segurança Digital teve acesso, foi verificada através de uma domínio matemática que podes ser conferida com registros públicos, sem a inevitabilidade de testes on-line. Encontre nesse lugar o certificado do Banco Inter no website da Comodo.


O site principal do Banco Inter usa um certificado diferente dos que foram revogados, emitido em 29 de abril na DigiCert. Mas, se os certificados antigos estivessem válidos, golpistas poderiam gerar sites clonados do Banco Inter caso pudessem redirecionar o acesso ao banco. Um contexto, por exemplo, seria o de redes Wi-Fi abertas. Estas redes são vulneráveis a ataques de redirecionamento, todavia, caso criminosos tentem redirecionar um website de um banco numa rede Wi-Fi aberta, o correntista receberá um alerta de segurança descrevendo que o certificado do website não pôde ser verificado. Contudo, como o certificado do Banco Inter vazou, é possível montar uma página clonada perfeita, utilizando o certificado lícito do respectivo banco.


E você vai conversar e percebe que é porque ela tem pavor, ela neste momento foi enrolada por um programador, ela não se sente confortável de demonstrar esse desconhecimento. É muito alienado como isto influencia demasiado a porcentagem de mulheres empreendendo com tecnologia. É diretamente proporcional. O fato de eu não ter mulheres que programam, que criam, faz com que mulheres não consigam empreender nessa área.

  • Let’S veste: Ackon Wear
  • 8- Cite uma Blogueira novato que você esta acompanhando
  • 2 Arquivando temas da PDU
  • Apostar nos “gadgets”
  • Lucivanio santos 19/06/2015 em 6:07 pm

Meu conselho sempre é: primeiro você precisa perder o pânico. Se manchou uma coisa em moradia a gente se sente tão responsável, a gente a toda a hora apresenta o nosso jeito. E aí quando o tema é tecnologia não, a mulher agora diz: ‘ah, mas eu não sou de tecnologia’. Peraí, você mexe no teu ceular como ninguém, manda e-mail, troca mensagem com as suas amigas, quem dialogou que você não é de tecnologia? Por que está deixando que a sociedade te imponha esse papel se você nem tentou?


A gente ainda tem um terror muito amplo de se envolver por causa de estereótipo. Ainda encontra que quem faz tecnologia é o cara geek que começou com 5 anos e, putz, imediatamente não fornece mais pra mim, eu não sou um Mark Zuckerberg, ferrou, não possuo mais oportunidade. Para mim a primeira dica é perder o pânico.


Digitando no Google, caçado um monte de link, fazendo incorreto, fazendo correto, conversando , um curso por aqui, outro lá. Em sua vida como empreendedora de tecnologia que problemas você localiza por ser mulher? Acho que é um lance de você prosseguir lendo em redor e não se reconhecer no volume.

Tags: blog

Don't be the product, buy the product!

Schweinderl